Como funcionam os minicontratos futuros de índice e dólar

Para compreender como os minicontratos futuros de índice e dólar funcionam é preciso ter em mente que eles são derivativos, ou seja, são contratos baseados em outros ativos e o seu preço é um reflexo do ativo-objeto.

John C. Hull define um contrato futuro como “um acordo entre duas partes de comprar e vender um ativo em uma determinada data futura por um preço específico”. Esse tipo de contrato começou a ser utilizado principalmente por agricultores e comerciantes que queria evitar surpresas na hora de reabastecerem seus estoques ou venderem sua produção; com o passar do tempo alguns especuladores perceberam que era possível lucrar com os contratos futuros sem a necessidade ou intenção de negociar commodities.
Com o passar dos anos os mercados futuros foram se tornando populares e passaram a ser negociados nas principais bolsas de valores do mundo.

O que é um contrato futuro de índice IBOVESPA

minicontratos futuros índice ibovespa
FOTO Reinaldo Canato

O índice Ibovespa é o mais importante índice da bolsa de valores brasileira, a B3. Ele é uma carteira teórica composta pelas ações mais negociadas na bolsa, uma de suas principais funções é medir o crescimento com um todo das ações negociadas. O Ibovespa é mensurado em pontos, então à medida que as ações que o compõem se valorizam sua quantidade de pontos aumenta, à medida que elas se desvalorizam, diminui.

Um contrato futuro do Ibovespa é um acordo entre duas partes que se comprometem a negociar o índice por um preço específico no vencimento do contrato. Ao contrário do que acontece com os futuros de commodities, nos contratos de índice não há uma entrega da carteira de ações, como haveria a entrega de sacas de milho, por exemplo. A liquidação é puramente financeira, ou seja, no dia do vencimento há um ajuste entre a diferença da pontuação do contrato de índice e a pontuação acertada e então o contrato deixa de existe. Não há necessidade de permanecer com o contrato até o dia do vencimento, é possível revendê-lo há qualquer momento.

Quanto vale um contrato de índice Ibovespa

Cada ponto do Ibovespa equivale a R$ 1,00 do contrato futuro, assim se ele estiver sendo negociado a 84.000 pontos o seu valor será de R$ 84.000. De acordo com a sua oscilação em pontos o seu valor financeiro oscilará na mesma proporção. Se no dia do vencimento o preço à vista for de 82.500 pontos alguém que tenha vendido dias ou semanas antes por 84.000 terá lucrado R$ 1.500 por contrato.

E o contrato futuro de dólar?

O contrato futuro de dólar funciona de maneira análoga, com apenas algumas diferenças técnicas. Por exemplo, o contrato que negociamos na bolsa brasileira tem o valor fixo de 50.000 dólares, tendo o seu valor em reais variando de acordo com a taxa de câmbio e o seu vencimento é mensal, ao contrário do contrato de índice que é bimestral. A referência para a cotação do dólar é a taxa PTAX.

Convergência de preço futuro e preço à vista

À medida em que o contrato futuro se aproxima do vencimento o seu preço converge para o preço do ativo-objeto, isso quer dizer que o seu preço será o mesmo ou muito próximo do preço do ativo principal.

Abaixo temos temos a ilustração dos dois cenários possíveis: (a) o preço futuro está acima do preço à vista e (b) o preço futuro está abaixo do preço à vista.

preço a vista e futuro docontrato de dóla e índice
Fonte: Hull, john C. Opções, futuros e outros derivativos.

Quem são os interessados

Há três tipos principais que negociam esse tipo de contrato: hedgers, especuladores e arbitradores. Falaremos mais sobre eles em um artigo posterior.

Tá, mas e os minicontratos?

Seria impossível tentar compreender os minicontratos sem entender os que são os contratos futuro em geral.

Os minicontratos foram criados para facilitar a entrada de pessoas físicas  nesse tipo de mercado. Um minicontrato futuro de índice ou de dólar nada mais é do que um contrato futuro que vale 20% do contrato padrão, ou seja, enquanto um contrato de dólar custa 50.000 USD, um contrato de minidólar custa 10.000 USD. O mesmo vale para o minicontrato de índice, enquanto o contrato padrão cotado a 84.000 pontos custa R$ 84.000, o mini cotado a 84.000 custa R$ 16.800.

É importante notar que os minis possuem cotação própria, ou seja, o preço dos minicontratos é definido pelo seus respectivos fluxos de compra e venda, mas eles tendem a seguir o preço do contrato cheio, havendo discrepância de alguns pontos em determinado momentos, mas nada muito significativo.

Baratos, mas nem tanto

Embora mais baratos do que os contratos padrões, os minis ainda não parecem tão acessíveis para pessoas físicas com pouco capital.

Não parecem, mas são.

Para operar um contrato futuro você não precisa ter o valor de todo o contrato, basta ter uma margem, essa margem assegura que você poderá cobrir eventuais perdas. Lembre-se que não há entrega física no vencimento, apenas uma liquidação financeira. Assim, você não precisa ter todo o valor, mas apenas o equivalente à variação, uma margem de garantia.

Supondo que há algumas semanas você tenha comprado um contrato de mini-índice cotado a 82.500 pontos, o que faz com que ele custe R$16.500; hoje é o vencimento e ele está cotado a 86.000 pontos, ou seja, R$17.200. A outra parte, a pessoa  que lhe vendeu, não precisaria ter os R$ 17.200 em conta, mas apenas R$ 700 (R$ 17200 – R$ 16.500). Você também não precisaria ter todo o valor no ato da compra, mas apenas uma quantidade de dinheiro capaz de cobrir uma variação negativa.

Como não é fácil determinar de quanto será a variação até a data do vencimento, a bolsa criou um dispositivo chamado ajuste diário.

Ajuste Diário

O ajuste diário foi criado para garantir que os negociantes honrarão o contrato, uma vez que não é necessário depositar o valor do contrato no ato da compra/venda.

Todos os dias a Bolsa analisa as posições abertas e credita ou debita a variação na conta de quem comprou ou vendeu. A tabela abaixo ilustra uma situação desse tipo, em que você realiza uma compra no dia 1 e a operação é encerrada no vencimento do contato, 10 dias depois. Para essa simulação consideramos uma margem de R$ 2.500 exigida pela corretora e um depósito inicial de R$ 2.500.

Abaixo da tabela comento os dias mais importantes.

ajuste diário mini-indice
Simulação de uma posição aberta em um minicontrato de índice

Dia 1: Compra nos 85.530 pontos com o ajuste do dia em 85.700. No dia seguinte a bolsa irá depositar R$ 34 na sua conta na corretora.

Dia 2: Embora nenhuma compra tenha sido efetuada nesse dia, a bolsa considera o seu valor de entrada como o preço do ajuste do dia anterior, uma vez que você sofreu o ajuste e a diferença entre o seu preço de compra e o ajuste foi depositado na sua conta. É como se você tivesse vendido e recomprado pelo preço do ajuste. Nesse dia o ganho foi de R$ 156.

Dia 8: Aqui a variação foi negativa e no dia seguinte você estará abaixo da margem exigida, o que fará com que a corretora “chame margem”, ou seja, exija que você faça um depósito para que o seu saldo em conta fique igual ou superior a margem mínima permitida. Se você não fizer o depósito a corretora irá encerrar sua posição.

Nessa simulação consideramos que o depósito foi realizado e depois retirado quando a conta voltou a ficar positiva

Dia 10: Dia do vencimento do contrato. Há um último ajuste e o contrato deixa de existir no dia seguinte.

Margem de garantia

O que torna o ajuste diário possível é a margem de garantia, um valor mínimo que deve ser depositado na corretora para cobrir os débitos de quando a operação vai contra a posição do investidor.

Essa margem é variável e depende da corretora que o investidor utiliza.

Código de negociação

Assim como as ações, os contratos futuros também possuem códigos de negociação, mas ao contrário das ações eles não são códigos fixos, com exceção do “prefixo”. Por exemplo, quem deseja comprar ações do Banco do Brasil basta digitar BBAS3 no Home Broker, já em contratos futuros o código de identificação muda de acordo com o mês e ano de vencimento, no seguinte formato: código + letra correspondente ao mês de vencimento + ano de vencimento. No caso do mini-índice com vencimento em abril de 2018 temos WIN+J+18.

No final deste artigo há uma tabela explicativa com os códigos mês a mês.

Venda a descoberto

Outra diferença em relação às ações é que para operar vendido (short) você não precisa alugar previamente o ativo, pode simplesmente vender da mesma forma como se estivesse comprando. Para encerrar a posição basta comprar a mesma quantidade do mesmo contrato vendido.

Day Trade

Para pessoas físicas que operam na bolsa de valores o que realmente importa nos minicontratos é a possibilidade de day trade.

Day trade é comprar e vender um ativo no mesmo dia, não importando se a posição é aberta no início do pregão e encerrada apenas no final, ou se a operação dura apenas alguns segundos. Aqui, como a operação é aberta e fechada no mesmo dia, não há ajuste, apenas a diferença entre o preço de compra e venda, vice-versa.

Enquanto a margem de garantia para ficar posicionado de um dia para o outro no mini-índice futuro gira em torno de R$ 2.500 (alavancagem de 6,5x), para operar day trade são necessários apenas R$ 40 (alavancagem de 412x!!!). Ou seja, em um dia você pode facilmente dobrar o seu capital em conta na corretora, mas pode perder tudo também.

Por isso day trade em futuros é tão atrativo e chama a atenção de muita gente, a grande maioria ignorando os riscos envolvidos.

Especificações dos contratos, padrão e mini, de índice e dólar

Abaixo segue algumas tabelas com as especificações dos contratos.

Especificações do contrato padrão de dólar
Especificações do contrato padrão de dólar (DOL)
Especificações do minicontrato de dólar
Especificações do minicontrato de dólar (WDO)
indice
Especificações do contrato padrão de índice futuro (IND)
Especificações do contrato padrão de índice futuro
Especificações do minicontrato de índice (WIN)
Códigos de vencimento minicontrato minidólar
Letras utilizadas no minicontrato de dólar com seus respectivos vencimentos
Códigos de vencimento minicontrato mini-índice
Letras utilizadas no minicontrato de índice com seus respectivos vencimentos

Conclusão

Espero que esse pequeno artigo tenha sido útil para esclarecer algumas dúvidas de como funcionam os minicontratos futuros de índice e dólar. Caso tenha ficado alguma dúvida deixe nos comentários. Se quiser apenas elogiar ou criticar deixe nos comentários também. 🙂

____________________

Se você chegou até aqui é porque considerou o artigo interessante. Que tal não perder os próximos e receber diretamente no seu e-mail? CLIQUE AQUI para se cadastrar e não ficar de fora.

____________________

Fontes consultadas:

Cohen, Rodrigo. Minicontratos futuros – COMECE por aqui

Hull, John C. Opções, futuros e outros derivativos. 9ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2016

Moraes, André. Tudo que você precisa saber para operar minicontratos. Infomoney.

Site da BMF&Bovespa. As especificações técnicas dos contratos foram retiradas diretamente de lá.

Anúncios

5 comentários em “Como funcionam os minicontratos futuros de índice e dólar

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: